Publicado por: Amauri Nolasco Sanches Junior e Marley Cristina Felix Rodrigues | 21 de maio de 2014

Rosas na Nigéria

 

Uma imagem com fundo branco com A Flecha de Apolo em azul simbolo masculino e o simbolo feminino O Espelho de Afrodite em rosa entrelaçados com um coração no meio dos símbolos.

eu achei muito interessante uma campanha da minhas colegas, a Kika de Castro e a Marcia Gori com a ong Essas Mulheres que fazem um trabalho sobre mulheres no meio inclusivo e outros eventos sobre. A campanha se chama BringBackOurGirl (Trazer de volta nossa menina) que se trata do sequestro da menina na Nigéria por um grupo extremista islamico Boko Haram. Não estava sabendo sobre o fato até eu me situar dentro dos acontecimentos, mas segundo o site R7 Noticias, elas foram levadas e as mais jovens são mantidas reféns e são estupradas 14 vezes por dia, que é um absurdo o extremo machismo desses seitas. O legal que podemos estender as injustiças que são feitas com as mulheres no mundo inteiro e não pensem que só as menina nigeriana, que por ser virgem foi entregue como esposa para o chefe do grupo extremista, que são vitimas desses abusos e sabemos disso, ainda mais, mulheres com deficiência.

Machismo, segundo historiadores, veio de uma raça da Europa Central chamada aryas – alguns historiadores dizem que foi por causa do deus ou deuses patriarcas – que cultuava o deuses partriarca e não a deusa mãe terra que substitiu o matriarquismo pelo partriarquismo. Não acredito nessa versão, porque talvez não foi explicado sociedades que não tiveram contato ainda serem machistas também, restando só a celtica que foi desimada na Era Medieval, restando apenas o culto a Mãe Maria que é quase a mesma coisa. No meu pensar, o homem é sempre foi aquele que caçou e guiou o clã para regiões melhores e sempre as mulheres ficaram em casa para cuidar da prole e cultuar as religiões que eram provenientes. Por que o feminino? Porque o feminino dava a luz, então se ela dava vida ao outro indivíduo e mestruava todo mês por ser fertil todo mês, a Terra e sua natureza criadora era a geradora da vida e a deusa criou todo o universo pelo seu grande utero. Então, uma hora um rei ou um sacerdote, olhou e resolveu centrar o foco num deus viril que colocaria muito mais ordem por guerrear e julgar com maior força criando as religiões partriarcais e isso está cravado dentro do Genesis da biblia, pois a mulher gerou o homem e deu a ele a necessidade de conhecimentos para a subexistencia saindo do meio natural; a mulher deu o homem o “fruto do conhecimento”, o mundo do trabalho e da dominação dos outros homens e deveria ser castigada, porque gerou a necessidades e gerou algo além, a necessidade de fincar um lar e nesse lar e da religião que deveria agradecer a mãe terra e o pai sol. Mas alguém virou e pensou que dominamos a terra em cultivo, não há razão de agradecer a terra e sim o sol, o sol é o rei e dele deve vir tudo – muitos milênios depois, descobrirmos que tudo que existe é proveniente de uma supernova que gerou o sistema solar e tudo que há nele – porque graças o seu calor tudo nasce e tudo vive. Então, começaram a cultuar os deuses que eram casados com consortes femininas, como no panteão hindu. Daí Abraão adota o deus Jeová como o deus único e começamos a saga entre o cristianismo (que pega alguns elementos romanos, elementos celtas, elementos aristotélicos e platônicos e elementos estoicos) e o islamismo (que há um elemento forte da cultura árabe e do oriente médio). Chegamos as duas religiões maiores junto com o budismo – que é um caso a parte que também há um elemento machista enorme, mas como Jesus, Buda sempre pregou a igualdade entre homens e mulheres, o ser humano e sua cultura, insiste em adota-la ainda – que chegamos a seitas extremistas que não aceitam outra designação a não ser, o pé da letra como no caso dos Boko Haram, o Corão (embora Maomé ou Muhammad não tenha pregado nenhum estupro).

Como disse, isso é apenas uma amostra do que é capaz seitas e ideologias levadas ao extremismo e até ao pé da letra, porque hostiliza sempre o papel da mulher dentro de uma sociedade. O estupro pode ser definido como um terrorismo machista levado ao extremo porque o medo faz o sujeito querer dominar, ele quer entrar no corpo da vitima para dominar por dentro e dizer que está dentro da vitima e manda nela. Por que que nas prisões, mesmo sendo homens, os mais fracos são estuprados? Por causa dessa ideia de dominação, dessa ideia que o estuprador domina, muitos ainda acreditam que estão “pondo ordem na casa”. Mas certamente isso só vai mudar quando toda a cultura mudar, quando mães deixarem de educar seus filhos a serem “varões” ou algo do tipo e não é só na sociedade como um todo, mas também no meio inclusivo das pessoas com deficiência.

Como disse no artigo anterior sobre os “machos alfas” do segmento de PCDs – são homenzinhos crescidos que saem dizendo que mulheres cadeirantes servem para carregar sacolas e que o melhor de namorar mulheres cadeirantes é não pagar ônibus e nem o cinema e vai em feiras de acessibilidade como se vai em baladas e ficam mexendo com as moças sem ao menos, terem ou receberem liberdade para tal – há uma restrita margem de pessoas extremamente machistas e até que muito, dispostas a apoiar violência não só na mulher, mas violência contra homossexuais e que não deveria ter esse tipo de preconceito, porque vive esse preconceito. Existem tambem acedios contra mulheres com deficiencia no transporte acessivel, no meio inclusivo de escolas especiais e até, no meio domestico familiar. E pasmem, são religiosos protestantes em sua maioria, pessoas que se fazem de santas e depois acediam meninas com deficiencia por ai como se elas não fossem humanas. Pessoas religiosas que pregam o ódio contra tudo que não seguem sua crença, tudo que não faz dela sua própria fé, a negação de uma etnia ou um meio ritualista de culto diferente do seu e não diferente do Boko Haram nigeriano.

Devemos sempre apoiar essas iniciatvas como sendo importantes, não só para a menina nigeriana, mas as meninas do mundo inteiro serem estupradas, violadas em seu direito de serem pessoas como podem ser e não como querem que sejam, como querem que a mulher seja submissa. Se você é cristão ou religioso como eles, lembre sempre, Eva veio da costela de Adão e tem ma mesma carne e o mesmo sangue, respeite!

Amauri Nolasco Sanches Junior

essas mulheres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: