Publicado por: Amauri Nolasco Sanches Junior e Marley Cristina Felix Rodrigues | 7 de março de 2011

Plantão do Ser um Deficiente

Uma placa dizendo que essa vaga não é sua nem por um minutinho, respeite as vagas para deficiente

Caus!*

Deficiente nesse país, está sempre na mais baixa escala. Mas quando reconhecido e se encontra nas alturas e quer descer, não tem seus direitos respeitados. Muitas vezes, nos sentimos presos pela sociedade, pelos conceitos e quando queremos ser presos, temos esse direito negados; que país é esse?

Não precisamos de “torcida” contra, nem tão pouco de chamego, super proteção. Querem que nos rastejamos pelo chão (ou não?), não queremos pagar meia entrada, não queremos pagar, não queremos 5% na Lei de Cotas, Aliás, que Lei de Cotas? Não queremos ser lembrados, só no tempo das eleições em discursos eleitoreiros. Não queremos ser lembrados, só quando alguns dos nossos governantes- que se dizem nossos representantes que sofrem alguns descasos- quantos de nós todo dia, somos desrespeitados em hospitais, postos de saúde, na questão de cotas. Aliás, acredito que a unica função/profissão que o deficiente tem livre acesso, é a de palhaço. Sabe o por que? Para o poder publico dar risada da nossa cara.

Muitos acham que o deficiente é um “peso” que vai quebrar os cofres publicos e dá um salário minimo indigno que da uma carteirinha de ônibus – que quando muito usada pelo mesmo – é bloqueada, que para consegui um atendimento de 1 carro adaptado precisa ficar numa imensa fila? Agora te pergunto:

O deficiente é um peso?

Sou da seguinte opinião, que somos eficientes.

Para dar voto para governante que nem lembra dele (o deficiente) no discurso

Para conseguir verba internacionais para o país

Para as empresas não pagarem multa

para compra de carro

para compra de casa

Chega de sermos usados! Escarcel! Chega de definir o deficiente por um laudo médico ou um CID. O ocorrido no dia 3 de março de 2011 com a deputada entre rodas, acontece com milhares de deficientes e nada se faz. Agora te pergunto:

Você tem o direito de escolher: Uma hora no ponto de ônibus adaptado de baixo do sol de barroga vazia, ou duas horas em um avião cheio de guloseimas de barriga cheia? Em um avião protegido de violência em plena saúde em espera de um carro a procura de socorro?

Agora te pergunto:

Por que precisa acontecer com pessoas influentes para nos enchergarmos? Não queremos esmolas. prioridades, mas sim, dignidade e igualdade. Pois não escolhermos a vida, e exigimos respeito, e dignidade para viver a mesma em sua essência. Mas lembre-se: trilhar um caminho não é trilhar o caminho, mas trilhar a vida é trilhar o caminho. Não permita que ninguém diga o que você deve fazer e o caminho que deve seguir, mas lute sempre mesmo que exista o medo. Pois lembre-se, corajoso não é quem não tem medo, mas quem vence o medo e mais, matŕeria é apenas matéria, um dia acaba, mas o espirito permanece.

Acredite em você, pois o pior fracasso não é tantar e mão consegu, mas é o não tentar. Lute sempre! Águia é sempre águia, nasce águia, permanece águia, é eternamente águia. Diga não ao medo, diga não ao fracasso, diga sim a vida, diga sim aos desafios, diga sim ao descontentamento, pois a vida é um mistério e cabe você a desvenda-lo, mesmo que você pague um alto preço, pois o alto preço se torna um lucro.

 

Marley Cristina Felix Rodrigues

 

* Eu deixei o “Caus” de propósito para dar um ar de popular (Nota de Junior)

A Bailarina Mara?

Nosso livro: Liberdade e Deficiência

Vakinha pra nossa cadeirinha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: